O conteúdo desta página requer uma versão mais nova do Adobe Flash Player.

Baixar o Adobe Flash Player

Pós - Graduação

 

Camila Ferreira de Mello ( Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ) é mestranda no Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura pela Universidade Federal da Bahia e Graduada em Letras Vernáculas (Licenciatura e Bacharelado) pela mesma Universidade, em 2010. No segundo semestre de 2006, iniciou sua participação como voluntária no Projeto Vertentes, tornando-se bolsista de Iniciação Científica no ano seguinte. A sua pesquisa tem como tema a alternância dativa que se observa em algumas variedades populares do português brasileiro (Ex.: Eu dei os meninos o remédio. / Eu dei o remédio pros meninos). Em seus três primeiros anos de bolsa, analisou essas estruturas no Português Afro-brasileiro e no Português Popular do Interior do Estado da Bahia (município de Poções e Santo Antônio de Jesus). Atualmente, no mestrado, estuda a fala popular da cidade de Salvador, com o intuito de traçar um continuum deste fenômeno linguístico no Português Popular do Estado da Bahia. O estudo da Alternância Dativa no Português Afro-brasileiro, realizado no primeiro ano de bolsa de IC, gerou um texto, elaborado em co-autoria com o seu orientador, Dante Lucchesi, que foi publicado como capítulo do livro O Português Afro-Brasileiro. Com a publicação desse capítulo, recebeu o Prêmio PublicFapex, no ano de 2009. Os resultados da sua pesquisa já foram apresentados através dos seguintes trabalhos:


- As construções de objeto duplo no português afro-brasileiro, sob a forma de painel, na XXII Jornada Nacional de Estudos Lingüísticos do GELNE (Grupo de Estudos Lingüísticos do Nordeste), em setembro de 2008 e no VI Congresso Internacional da Abralin, em março de 2009.


- As construções de objeto duplo no português afro-brasileiro, sob a forma de comunicação oral, no XXVII Seminário Estudantil de Pesquisa e IX Seminário de Pesquisa e Pós-graduação, realizado na Universidade Federal da Bahia, em novembro de 2008.


- Alternância dativa no português popular do interior do Estado da Bahia- Poções, sob a forma de pôster, no ROSAE - I Congresso Internacional de Linguística Histórica, em julho de 2009.


- As construções de objeto duplo no português popular do interior do Estado da Bahia- Poções, sob forma de comunicação oral, no SEPESQ 2009 - Seminário de Pesquisa Estudantil em Letras, em outubro de 2009.


- Alternância dativa no português popular do interior do Estado da Bahia- Poções, sob a forma de comunicação oral, no XXVIII Seminário Estudantil de Pesquisa e X Seminário de Pesquisa e Pós-Graduação, realizado na Universidade Federal da Bahia, em novembro de 2009.


- LUCCHESI, Dante; MELLO, Camila Ferreira de. A alternância dativa. In: LUCCHESI, Dante; BAXTER, Alan; RIBEIRO, Ilza. (Org.). O Português Afro-brasileiro. Salvador: EDUFBA, 2009, p. 427-456.

 

 

Elisângela dos Passos Mendes ( Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ) é Mestre em Letras e Linguística pela Universidade Federal da Bahia (2009) e graduada em Letras Vernáculas (Licenciatura) pela mesma Universidade (2005). Atua como professor substituto de Língua Portuguesa no Instituto de Letras da Ufba, desde junho de 2009. No segundo semestre de 2003, iniciou a sua participação no Projeto Vertentes, como bolsista de iniciação científica (IC), desenvolvendo, no primeiro ano de bolsa (IC-FAPESB/2003-2004), um estudo sobre as estratégias de relativização, e no segundo (IC-PIBIC/2004-2005), um estudo sobre a flexão de caso dos pronomes pessoais, os quais foram realizados a partir de amostras de fala de comunidades rurais afro-brasileiras. Em 2007, durante o curso de Mestrado, aprimorou o desenvolvimento do tema do seu segundo ano de bolsa_IC, estabelecendo a comparação entre as comunidades rurais afro-brasileiras e o português popular dos municípios de Poções Santo Antônio de Jesus a fim de  contribuir com a elaboração de um panorama sociolinguístico do português popular do interior do Estado da Bahia, um dos objetivos do Projeto Vertentes. Os resultados da sua pesquisa já foram apresentados através dos seguintes trabalhos:

O contato entre línguas, o português popular e a flexão de caso dos pronomes pessoais. Comunicação apresentada no VI Encontro da Associação Brasileira de Estudos Crioulos e Similares – ABECS, realizado na Universidade Federal da Bahia, em março de 2010.

- LUCCHESI, Dante; MENDES, Elisângela dos Passos. A flexão de caso dos pronomes pessoais. In: LUCCHESI, Dante; BAXTER, Alan; RIBEIRO, Ilza. (Org.). O Português Afro-brasileiro. Salvador: EDUFBA, 2009, p. 471-488.

- A variação na flexão de caso dos pronomes pessoais no português popular do interior do Estado da Bahia. Comunicação apresentada no ROSAE - I Congresso Internacional de Linguística Histórica, realizado na Universidade Federal da Bahia, em julho de 2009.

- Condicionamentos estruturais e sociais da flexão de caso dos pronomes pessoais no português popular. Comunicação apresentada no VI Congresso Internacional da ABRALIN, realizado na Universidade Federal da Paraíba, em março de 2009.

- Uma abordagem sobre  a flexão de caso dos pronomes pessoais no português popular no interior do Estado da Bahia. Comunicação apresentada no Congresso Nacional ABRALIN EM CENA PIAUÍ, realizado na Universidade Federal do Piauí, em abril de 2008.

- A flexão de caso dos pronomes pessoais no português rural afro-brasileiro. Comunicação apresentada na X SEMANA DE MOBILIZAÇÃO CIENTÍFICA – SEMOC, realizada na Universidade Católica do Salvador, em abril de 2007.

“Beija eu, beija eu, beija eu... me beija” - A flexão de caso dos pronomes pessoais no português popular do interior do Estado da Bahia. Comunicação apresentada no SEPESQ 2007 - Seminário de Pesquisa e Pós-Graduação, realizado na Universidade Federal da Bahia, em outubro de 2007.

“Beija eu, beija eu, beija eu... me beija” - A flexão de caso dos pronomes pessoais no português rural afro-brasileiro. Comunicação apresentada no  SEPESQ 2006 - Seminário de Pesquisa e Pós-Graduação, realizado na Universidade Federal da Bahia, em setembro de 2006.

- “Beija eu, beija eu, beija eu... me beija” - A flexão de caso dos pronomes pessoais no português rural afro-brasileiro. Apresentação de painel no XXV SEMEP - Seminário Estudantil de Pesquisa, realizado na Universidade Federal da Bahia, em novembro de 2006.

- As orações relativas em uma comunidade de fala rural afro-brasileira. Comunicação apresentada no SEPESQ 2006.

- Seminário de Pesquisa e Pós-Graduação, realizado na Universidade Federal da Bahia, em outubro de 2004.

 

 

Jurgen Alves de Souza ( Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ) graduado em Letras Português pela Universidade de Brasília (2007), Mestre em Letras e Linguística pela Universidade Federal da Bahia (2011) e doutorando em Língua e Cultura pela Universidade Federal da Bahia. Inserido no Projeto Vertentes desde fevereiro de 2009, tem pesquisado acerca das estratégias de reflexivização presentes no Português Popular do Estado da Bahia. Como bolsista de pós-graduação no mestrado, analisou, em dissertação intitulada As estruturas reflexivas no português afro-brasileiro, as estratégias de reflexivização presentes na fala vernácula de comunidades rurais afro-brasileiras isoladas no interior do Estado da Bahia, relacionando o surgimento de tais estratégias ao contato entre línguas ocorrido durante a colonização brasileira. Atualmente, como bolsista de pós-graduação no doutorado, tem estudado as estratégias de reflexivização presentes no Português Popular do Interior do Estado da Bahia, procurando observar o processo de difusão dessas estratégias originadas em comunidades rurais etnicamente marcadas na fala vernácula de cidades interioranas de pequeno e médio porte.

Os resultados da sua pesquisa já foram apresentados através dos seguintes trabalhos:

SOUZA, Jurgen Alves de. A contribuição do contato entre línguas para o apagamento do clítico reflexivo no português afro-brasileiro. Comunicação. VII Encontro da Associação Brasileira de Estudos Crioulos e Similares e XIII Encontro da Associação  dos Crioulos de Base Lexical Portuguesa e Espanhola, 2012. Resumo disponível em: <http://www.fflch.usp.br/dlcv/lport/site/abecs/caderno_abecs_acblpe.pdf>

SOUZA, Jurgen Alves de. O apagamento do clítico reflexivo no caldeirão do contato entre línguas. Revista Inventário – ISSN 1679-1347, ed. 11, p. 1-15, 2012. Disponível  em: <http://www.inventario.ufba.br/11/O%20apagamento%20do%20cl%C3%ADtico_formatado_1%20finalizado.pdf>

SOUZA, Jurgen Alves de. As estruturas reflexivas no português afro-brasileiro: uma análise da comunidade de Helvécia. Revista Papia – ISSN 0103-9415, n. 21, v.1, p. 51-63, 2011. Disponível em: <http://abecs.net/ojs/index.php/papia/article/viewFile/334/345>

SOUZA, Jurgen Alves de. Língua, história e ensino no gingado da capoeira. Revista Virtua – ISSN 2176-8129, n. 1, v.1, p. 47-62, 2009. Disponível  em:< http://www.uefs.br/colplet/revista/ed01_102009/artigos/artigo_04.pdf >

Lattes: <http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4208653Y8>

 


Lanuza Lima ( Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ) é Doutoranda pelo Programa de Língua e Cultura da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Mestre em Letras e Linguística (UFBA) e Graduada em Letras Vernáculas (Licenciatura e Bacharelado) pela mesma Universidade. Atua como professor efetivo do ensino Básico, Técnico e Tecnológico no Instituto Federal da Bahia, campus Camaçari.

No segundo semestre de 2005, iniciou sua participação no Projeto Vertentes como bolsista de Iniciação Científica (PIBIC).  Em seus dois anos de bolsa, estudou a variação no uso do modo imperativo (ex.: pegue isso / pega isso) nas comunidades rurais e afro-brasileiras do interior do estado da Bahia. Os resultados do trabalho foram apresentados em congressos e seminários, e receberam, em 2006, os prêmios de Destaque do SEPESQ (Seminário de Pesquisa Estudantil do Instituto de Letras – UFBA) e Destaque da área de letras do XXV SEMEP, PIBIC. Em 2008, iniciou a pesquisa de mestrado vinculada ao Projeto, analisando a ordem verbo-sujeito na fala popular do interior do estado da Bahia. Atualmente, além das atividades de ensino e extensão no IFBA, tem se dedicado na pesquisa de doutorado, ao estudo do português popular de Salvador, analisando o uso do verbo imperativo em corpus de fala coletado e organizado pelo Projeto Vertentes.

Os resultados de sua pesquisa já foram apresentados através dos seguintes trabalhos:


- III Seminário Internacional do GELIC.Fala tu ~ fale você: a expressão variável do modo imperativo e a influência do contato entre línguas no português popular da Bahia.. 2012. (Seminário).

- V Eclae : Encontro das Ciências da Linguagem Aplicadas ao Ensino.O efeito multiplicador de uma conscientização sociolinguística. 2011. (Encontro).

- V Encontro da ABECS - Associação Brasileira de Estudos Crioulos e Similares.Condicionamentos da ordem VS em comunidades remanescentes de quilombo do interior do estado da Bahia. 2010. (Encontro).

- A ordem verbo sujeito no português popular sob o enfoque da teoria sociolinguística variacionista. (Palestra). IV COMciência – UNIME-Ba, em maio de 2010.

- Condicionamentos da ordem VS em comunidades rurais e comunidades remanescentes de quilombo do interior do estado da Bahia, sob forma de comunicação no VI encontro da ABECS, em março de 2010.

- A Ordem verbo sujeito: uma análise sociolinguística em comunidades afro-brasileiras do estado da Bahia, sob forma de comunicação, no ROSAE - I Congresso Internacional de Linguística Histórica, em julho de 2009.

- A ordem verbo-sujeito: uma análise sociolinguística da fala do município de Poções-BA, sob forma de comunicação, no VI Congresso Internacional da Abralin, em março de 2009.

- A ordem VS: uma análise sociolinguística na fala rural de Santo Antônio de Jesus, sob forma de comunicação, na XXII Jornada Nacional de estudos linguísticos do GELNE, em setembro de 2008, UFAL.

- O uso do modo imperativo no português afro-brasileiro, sob forma de pôster, na XIV Jornada Nacional de Iniciação Científica/ 59ª Reunião anual da SBPC, em 2007, na UFPA e na XXI Jornada de estudos lingüísticos do GELNE, em 2006.

- O uso do modo imperativo no português rural do estado da Bahia, sob forma de comunicação, na X Semana de Mobilização Científica – SEMOC, em 2007.

- O uso do modo imperativo no português afro-brasileiro, sob forma de comunicação, no XXV Seminário estudantil de Pesquisa SEMEP, na UFBA, em 2007.

- RESUMOS DE COMUNICAÇÕES LIVRES - Jornada Nacional de Iniciação Científica (JNIC). , 2007.

Referências adicionais : Brasil/Português. Meio de divulgação: Meio digital, Home page:<http://www.servicos.sbpcnet.org.br/sbpc/59ra/senior/livroeletronico/resumos/r6533-1.html>

Lattes: < http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4559247Y7 >

 

 

 


 

 
Apoio

Associados

Projeto PROHPOR

Projeto ALIB

Notícias

Dante Lucchesi pronuncia-se sobre a polêmica do livro didático adotado pelo MEC.

Leia aqui...

Texto sobre o Livro do MEC...

Fale Conosco

Para criticar, sugerir, consultar, envie um e-mail para vertente@ufba.br.

Expediente

O responsável por este sítio é o Coordenador do Projeto Vertentes, Dante Lucchesi, que também é o autor de todos os textos aqui publicados, exceto aqueles cuja autoria vem explicitamente indicada na página.

Administração

Copyright © 2017 Projeto Vertentes. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um Software Livre com licença GNU/GPL v2.0.